quinta-feira, 10 de julho de 2014

Dicas de onde comer em Bariloche - Argentina (Parte 2)

Dando continuidade ao post com dicas de lugares para comer em Bariloche - Argentina (clique aqui ), seguimos com mais algumas dicas. Esperamos que gostem!

* Família Weiss - O restaurante Família Weiss é muito bonito, tem a vista do Lago Nauel Huapi, é grande, com estilo rústico e pertinho de tudo em Bariloche. Fica localizado no Centro, praticamente em frente a Catedral. Seu forte é a culinária patagônica. 




Recomendamos experimentar os pratos com cervo, cordeiro, truta (carro chefe do restaurante) e também as cervejas locais. O restaurante tem um cardápio variado, tem massas também. Quando fomos, experimentamos um prato de massa e o cordeiro patagônico assado. 
  


Site: http://www.restauranteweiss.com.ar/ (estava desativado quando acessamos)
Endereço: Esquina da rua Palácios com a A.V. O’Connor 
Funcionamento: Diariamente das 12:00hs à 01:00h.

* Asador Criollo Don Molina: Com uma decoração rústica e aconchegante, o Don Molina é mais um tradicional restaurante de Bariloche que serve a famosa Parrila Argentina e que vale muito a pena conhecer. 


Além das entradinhas, uma cesta de pães com quatro pastinhas, no Don Molina experimentamos o bife de chorizo e o ciervo assado. Estava excelente!!! 




Ambiente bem organizado, com as mesas prontas para o atendimento (taças lindas, pratos e guardanapos devidamente colocados) e com um atendimento perfeito. Recomendamos!!



Site: Não achamos em nossa pesquisa.
Endereço: San Martín 605, Bariloche. 
Horário de funcionamento: Seg - Dom: 11:30 - 00:30h. 

* Frantom Chocolates:  Se quiser fazer uma parada para um café ou chocolate quente, a maioria das lojas de chocolates de Bariloche possui em anexo um café ou restaurante. Na Frantom Chocolates da Calle Mitre tem uma cafeteria muito boa. O cardápio tem chocolate quente, capuccino, bebidas geladas, alguns tipos de cafés, tostadas, sanduíches, empanadas e uma variedade de bolos.  No local também tem wi-fi grátis para os clientes.

Recomendamos o chocolate quente feito com o próprio chocolate da casa, é muito bom! 




A Frantom Chocolates tem uma loja maior, onde fica a fábrica, na esquina das Calles Juan de Manuel Rosas y Panozz. Muito próximo do Centro Cívico de Bariloche. Ao visitar a fábrica, os visitantes ganham um copo de chocolate quente. Delicioso! 
Além disso, os visitantes podem fazer as suas compras e deixar lá que eles entregam no Hotel onde estiverem hospedados. Assim, pode continuar os passeios e não precisará carregar as sacolas. 

* Endereço: Calle Juan de Manuel de Rosas y Panozz / Calle Mitre. 

* La Esquina Café Bar: localizado em frente ao Centro Cívico, o La Esquina Café Bar serve refeições e café. O ambiente é rústico e bastante aconchegante. O atendimento é muito bom. 

Na primeira vez que fomos pedimos uma Quilmes para acompanhar o nosso lanche, um sanduiche com batatas fritas. 





 

Na segunda vez, pedimos meia pizza marguerita (estava deliciosa!) com um bom vinho argentino.



As porções são individuais, os preços são bons e o local possui internet wi-fi grátis para os clientes. 

Site: Não foi encontrado na pesquisa. 
Endereço: Esquina Urquiza & Perito Moreno. Em frente ao Centro Cívico. 

* Friends: O bar, restaurante e café Friends tem um ambiente bem legal e diferente dos demais lugares que havíamos conhecido: é todo decorado com brinquedos pendurados no teto. O público que frequenta o local é bastante variado, desde famílias até jovens solteiros. E o restaurante possui indicação para o público GLBT. 


No Friends entramos para tomar um café. Por sinal, tudo foi muito bem servido. As porções são individuais e grandes. O preço é bom também. Há wi-fi grátis para os clientes. 


Pedimos uma porção de tostadas com geleia de morango e manteiga, dois chocolates quentes e uma porção de churros com doce de leite. Estava muito bom!
O Friends é o único restaurante que funciona 24h/dia em Bariloche. 

Site: Não foi encontrado na pesquisa. 
Endereço: Calle Mitre, 300. 
Horário de atendimento: 24h/dia. 

Por fim, essas são as nossas dicas de lugares para comer em Bariloche - Argentina. Lugares que tivemos a oportunidade de conhecer e o prazer de recomendar para todos.  Aproveitem! 

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Parrilla, carnes patagônicas, massas e Foundue: dicas de onde comer em Bariloche - Argentina

O post de hoje é para dar água na boca. Vamos ser sinceros, quando o assunto é gastronomia, os argentinos dão um show! As carnes, sorvetes, chocolates, vinhos... são muito bons!!! 

Em Bariloche não poderia ser diferente, todos os lugares que fomos para comer, desde um chocolate até um jantar, foram ótimos e merecem ser destacados aqui no blog. 

* El Boliche de Alberto - Não se trata de um lugar para jogar boliche (como nós brasileiros conhecemos) e sim de um Restaurante de Parrila Argentina. O lugar é agradável e tem um cardápio variado, servindo carnes/parrillas, massas, sobremesas, e com uma carta de vinhos muito boa, com destaque para vinhos da Patagônia Argentina. 

Experimentamos o bom e tradicional bife de chorizo, que veio acompanhado de uma generosa porção de batatas fritas. Estava uma delícia! 


Localizado no centro de Bariloche, El Boliche de Alberto fica a algumas quadras do Centro Cívico, salvo engano umas 3 ou 4 quadras. Dá para ir caminhando até lá. 
Fotos da fachada do restaurante El Boliche de Alberto: 



* Endereço: Calle Villegas, 347, Bariloche. 
* Horário de funcionamento: 12h/15h30 e 20h/1h. 

* La Trattoria della Famiglia Bianchi - Um charmoso e delicioso restaurante de massas em Bariloche. Cardápio variado (massas, parrilla, risotos, etc.) e preços bons. Há pratos individuais e para duas pessoas.  É bem servido. Recomendamos!






* Site: Não encontrado na pesquisa.
* Endereço: España 590, 8400, próximo ao Hotel Panamericano. 

* La Marmite: Se estás procurando um bom fondue em Bariloche, esse é o lugar! Recomendado com 5 estrelinhas!  O La Marmite é um restaurante suiço e o carro chefe da casa são os Fondues (queijo, carne e de chocolate). Almoçamos lá e experimentamos o fondue de queijo com seus acompanhamentos. Bom demais! 


O local é super bonitinho, aconchegante e com preço ótimo! Pagamos por um fondue de queijo, para duas pessoas, mais as bebidas, o equivalente a R$60,00 na época (agosto/2012). 




Além dos fondues, o restaurante serve carnes patagônicas, massas e sobremesas internacionais. 

* Endereço: Calle Mitre, 329.  Facílimo de achar, fica na principal avenida de Bariloche. 

No próximo post, mais dicas de restaurantes em Bariloche. Aguardem! 

domingo, 6 de julho de 2014

Mirante do Mangabeiras: A melhor vista de Belo Horizonte - Minas Gerais


Se você for a capital mineira Belo Horizonte, não pode deixar de visitar o Mirante do Mangabeiras. O mirante proporciona aos visitantes uma belissíma vista panorâmica da cidade.

Estivemos no Mirante em março de 2013. Há uma portaria que controla a entrada dos visitantes e o horário de funcionamento. No local não há estacionamento, os carros estacionam na rua e as vagas mais próximas da entrada são disputadas. Só é possível entrar com o carro para desembarque se for cadeirante, idoso ou deficiente. 


Também não há lanchonete nem restaurante. Se precisar tomar uma água, procure um ambulante nas proximidades da entrada do local. 


Contudo, vale a pena dar uma passadinha por lá e registrar belas imagens da cidade. A vista vale a pena e o pôr do sol no fim de tarde garante lindas fotos! 






Horário de funcionamento: das 10:00 às 22:00h. 
Endereço: Rua Pedro José Pardo, 1000 - Mangabeiras. Atrás do Palácio Mangabeiras. 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

A Buenos Aires do Futebol! (por Leandro Almeida)

O post de hoje é redigido pelo meu irmão, que recentemente esteve em Buenos Aires e fez um tour pelos estádios de futebol da capital argentina. Segue o relato dele sobre o primeiro estádio visitado... 

Todos sabemos o quão bonita Buenos Aires é! Suas largas avenidas, ruas arborizadas, seu charme noturno ao som de um bom tango de rua sendo apresentado por artistas em meio à Florida e em tantos outros lugares espalhados pela cidade. Porém, a cidade não vive apenas de Floralis Genérica, Jardim Japonês e Caminito. Há a parte da cidade dedicada especialmente para os apaixonados pelo esporte Bretão que foi popularizado tanto cá, no Brasil, como lá, na Argentina. Talvez lá eles ainda vivam mais intensamente a paixão de torcer para os seus clubes de futebol. E é essa paixão que faz com que seus estádios, mesmo sendo antigos, serem alvo de turistas apaixonados por futebol. A mística que envolve seus estádios que é passada a nós brasileiros principalmente nos jogos da Libertadores é algo que tentamos, muitas vezes sem sucesso, copiar. E eu fui lá ver de perto como funciona...

O primeiro estádio que visitei não podia ser outro: Estádio Alberto José Armando. Não reconhece este nome? Que tal o apelido: La Bombonera! Ficou mais fácil, não? Pois este estádio, muito conhecido pelos brasileiros por ver seus times voltarem derrotados de lá, foi a nossa primeira parada. 


Não é um estádio moderno. Não tem cadeiras em todos os locais. Alguns locais nem sentar é possível! Não tem cobertura para proteger da chuva. Você deve pensar: “Que estádio de m****, Leandro!”. Discordo! Ele foi projetado para isso. Com sua capacidade pra 50.000 pessoas, ele se torna um estádio sufocante para os adversários diante da quase ausência de distancia entre campo e arquibancada. O tour começa pela loja, onde você paga 70 ou 80 pesos (R$ 20,00) para fazer a visitação. A visita de 70 pesos não da direito a conhecer as instalações internas do estádio, portanto recomendo MUITO a visita de 80 pesos. Ela começa saindo da loja por uma porta que dá acesso a área interna do estádio, que fica de frente para as cabines de transmissão dos jogos. Lá é onde você toma o 1º impacto de “Estou em La Bombonera!” A visão para o campo, o banco de reserva ao alcance das mãos, as arquibancadas inclinadas que fazem até o torcedor mais longínquo se sentir perto do campo. 


Após isso, somos guiados para a arquibancada que fica logo atrás do gol e onde fica a principal torcida do boca, a La 12. Na parte logo atrás do gol, o guia fez uma brincadeira onde todos devíamos pular ao mesmo tempo para ouvir o som produzido pela própria arquibancada do estádio. Eramos em torno de 30 pessoas e o som foi diferente de tudo que já vi em estádios de futebol (E não são poucos os que visitei!). Após isso ele comentou que naquele setor cabem em torno de 6000 pessoas e é impossível ficar sentado pois, além da pouca inclinação, os degraus são pequenos. E abaixo daquelas arquibancadas fica justamente o vestiário visitante! Imagine você como jogador e ter 6000 pessoas pulando no teto da sala onde você está. Que sensação agradável, não? Esta é a atmosfera que o estádio produz e que é tão temida pelas equipes que passam por lá como visitantes. Após isso, fomos justamente para o vestiário do visitante. É acanhado, pequeno e sem muito conforto. Chuveiros sem divisórias e, se duvidar, nem água quente tem! Dali, partimos para a parte central do estádio, mas não na arquibancada e sim nas partes internas, por baixo dos degraus do estádio. Há campos de grama sintética dentro do estádio onde crianças treinavam para quem sabe ser o novo Riquelme, Martín Palermo ou Maradona do Boca Juniors. E por fim, vamos para um restaurante que tem no lado oposto do estádio, que fica logo abaixo da arquibancada onde fica a torcida visitante. Lá a visita guiada oficialmente encerra. 

Seguindo pela escada, chegamos ao museu do Boca. O museu é do tamanho da grandeza do clube. Mostra recortes de jornais antigos, camisas antigas, camisas histórias, vídeos de várias conquistas do clube, taças, réplicas de jogadores e tem 1 mini cinema onde passam um vídeo sobre a história do clube desde sua fundação até os dias atuais e outra sala, com 6 projetores mostrando um filme em 360º. São vídeos curtos, mas a sensação de estar ali faz até quem não torce pelo Boca Juniors valorizar aquele momento. 

Dicas: 

1 – Ao redor do estádio é quase tudo temático ou com as cores do Boca Juniors. Vale muito a pena andar por ali também.
2 – O melhor bife de Chorizo que comi na minha passagem por Buenos Aires foi no Bar/Restaurante logo em frente ao portão principal do clube. 100 pesos que valeram a pena! Foto a baixo foi batida dentro dele e oferece uma pista sobre a sua localização. 


* Post escrito por Leandro Almeida, que visitou Buenos Aires em maio/2014. 

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Mirante do Cristo Branco, em Cusco - Peru

Cusco, conhecida como a capital do império inca, foi presenteada pela colônia palestina com a estátua do Cristo Branco. 
Fonte: Wikimedia Commons
A obra foi uma iniciativa dos palestinos Manuel Jasaui Facuse e de seu irmão, Federico Jasaui Facuse, e recebeu o apoio de outros membros da colônia árabe. Os irmãos eram comerciantes de seda e tiveram muito sucesso em seu negócio. Para agradecer a cidade de Cusco por seu êxito, antes de deixá-la decidiram construir a estátua, uma cópia do Cristo Redentor carioca.

A estátua foi erguida em 1945 pelo escultor cusquenho Ernesto Olazo Allende e está localizada na região de Sacsayhuaman, rodeada de ruínas. Com oito metros de altura, foi construída em granito e coberta com gesso e mármore.  Entre os anos de 1973 e 1974, foram colocadas redes ao redor da estátua para sua proteção e, desta forma, ela se conserva até hoje.


Além da estátua do Cristo, há um mirante onde é possível ver a cidade de Cusco e alguns pontos turísticos como o Templo do Sol (Qorikancha) e a Plaza de Armas. Vale a pena a ida até lá!